O Conselho Federal de Segurança da Alemanha, organismo que regula a venda de armamento de empresas alemãs ao estrangeiro, suspendeu todas as exportações para a Arábia Saudita, escreve hoje o jornal Bild am Sonntag.

A chanceler alemã, Angela Merker, que preside ao organismo, assim como o ministro da Economia, Sigmar Gabriel, e outros sete membros do governo que integram o conselho negaram “por completo” os pedidos de compra dos sauditas e adiaram futuras decisões “de forma indefinida”.

O Governo alemão não se pronunciou oficialmente sobre a medida que foi adotada pelo organismo na passada quarta-feira.

O jornal, que cita fontes governamentais, escreve também que o conselho tomou a decisão devido à situação que se vive na região e que é “demasiado instável” para que se possa exportar armamento.

A Arábia Saudita era até ao momento o cliente mais importante da indústria de armamento da Alemanha.

O Conselho Federal de Segurança, em 2013, autorizou as exportações para a Arábia Saudita no valor de 360 milhões de euros, sendo que em 2012 o volume de vendas alcançou o ponto mais alto de sempre com a venda de 1.200 milhões de euros em armas, num contrato com Riade.

Além do armamento, a Arábia Saudita é um importante parceiro comercial da Alemanha: entre 2009 e 2011 as exportações aumentaram 40 por cento com investimentos na economia alemã que ascenderam a quase sete mil milhões de euros, por ano.