O ciclista norte-americano Lance Armstrong bateu com o seu carro em dois veículos estacionados em Aspen, nos Estados Unidos da América, depois de alegadamente ter “bebido um pouco”, mas deixou que a namorada, Anna Hansen assumisse a culpa. A polícia descobriu e o processo de Anna Hansen foi transferido. Lance Armstrong é agora acusado de não ter participado o acidente e por ter ultrapassado o limite de velocidade, segundo o The Telegraph.

Quando o acidente ocorreu, a namorada do ciclista disse à polícia que estava a regressar de uma festa no Aspen Art Museum, quando perdeu o controlo do carro de Lance Armstrong, mas a história não convenceu a polícia. Mais tarde, Anna Hansen acabou por admitir à polícia que era o ciclista que estava ao volante do carro e que ambos tinham decidido que seria ela a assumir a culpa.

“Nós tivemos o nome da nossa família exposto em todos os jornais do mundo nos últimos anos e, honestamente, eu tenho adolescentes em casa. Só quero proteger a minha família”, terá dito Anna à polícia. Questionada sobre se o namorado estaria embriagado, respondeu que que “não estava alcoolizado”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Por ter confessado que não era ela quem estava ao volante naquela manhã, não foi acusada de ter prestado um depoimento falso. “A nossa política é encorajar as testemunhas a dizerem a verdade. Se as testemunhas vivessem com medo de serem processadas por revelarem que cometeram um erro, nós só raramente – se é que alguma vez – conseguiríamos arrancar toda a verdade das nossas vitimas ou testemunhas”, explicou o procurador Andrea Bryan.

Lance Armstrong perdeu os sete títulos que tinha conquistado em sete edições da Volta à França, em 2012, por ter sido acusado pela Agência Antidoping dos Estados Unidos de doping sistemático.