A China reafirmou esta quarta-feira a disposição de “elevar a cooperação com a Grécia em várias áreas”, mas um porta-voz oficial chinês afirmou desconhecer a existência de um “plano B” para ajudar aquele país europeu que envolveria Pequim.

“Vi esse relato, mas não tenho informação específica sobre os detalhes (do plano)”, disse a porta-voz do ministério chinês dos negócios estrangeiros, Hua Chunying.

Na terça-feira, o novo ministro grego da Defesa, Panos Kammenos, garantiu que a Grécia “tem alternativas” para se financiar: “O que queremos é um acordo (com a zona euro), mas se não houver acordo e se virmos que a Alemanha continua intransigente e que quer rebentar com a Europa, então teremos a obrigação de passar para o Plano B”.

Questionado sobre as fontes financeiras abrangidas pelo referido plano, Kammenos respondeu: “Podemos estar a falar dos Estados Unidos da América, ou pode ser a Rússia, a China ou outros países”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Os laços políticos entre a China e a Grécia são fortes. Sempre considerámos a Grécia um parceiro e um muito bom amigo dentro da União Europeia”, disse a porta-voz do MNE chinês.

“Estamos prontos a concertar esforços com o novo Governo grego para elevar a cooperação bilateral em varias áreas, na base do respeito mútuo”, acrescentou.