A investigação sobre o alegado abuso de um menor por Cliff Richard “aumentou significativamente de dimensão” e envolve agora mais do que uma acusação, refere o jornal britânico Telegraph. O anúncio foi feito pelo chefe da polícia de South Yorkshire, David Crompton, numa carta publicada esta quarta-feira.

Numa carta dirigida a Keith Vaz, presidente da Comissão de Assuntos Internos, e publicada esta quarta-feira pelo organismo, Crompton refere que a investigação terá aumentado “significativamente” de dimensão desde o seu início. “Dada a natureza da expansão”, Crompton refere que não é possível prever quando estará terminada. “Contudo, estamos a progredir o mais depressa possível”, explicou.

Na mesma carta, o chefe da polícia referiu que os advogados de Cliff Richard estão a par da investigação, apesar de o cantor não ter sido contactado diretamente. “Os advogados de Sir Cliff Richard têm conhecimento de que existe mais do que uma alegação”, escreveu. “Não escrevemos diretamente a Sir Cliff Richard. É responsabilidade dos seus advogados assegurarem que está a par das conversas que aconteceram durante a investigação”.

Apesar disso, num comunicado divulgado também esta quarta-feira e citado pelo Guardian, Cliff Richard disse não ter qualquer conhecimento das novas alegações. “Não faço ideia de onde é que vêm estas alegações falsas e absurdas. A polícia ainda não me pôs a par dos detalhes”, referiu.

No mesmo comunicado, voltou a defender a sua inocência, dizendo nunca ter atacado ninguém. “Nunca ataquei ninguém na minha vida e continuo confiante de que a verdade irá prevalecer. Tenho cooperado totalmente com a polícia e irei continuar a fazê-lo”, disse.

A publicação da carta aconteceu um dia depois de terem sido divulgados detalhes de uma investigação independente que critica a conduta da polícia de South Yorkshire. Nessa investigação, o corpo policial é criticado por ter partilhado informações confidenciais com a BBC, a propósito da busca feita à casa do cantor em Sunningdale, no sul de Inglaterra, em agosto do ano passado.

Cliff Richard está a ser investigado a propósito de um caso que remonta à década de 1980, altura em que terá abusado sexualmente de um jovem de 16 anos na zona de South Yorkshire, no norte de Inglaterra. Na altura, o cantor desmentiu as acusações, dizendo estar ciente das “acusações de conduta imprópria” que “circulavam na internet”.