As autoridades mexicanas capturaram, na madrugada de sexta-feira, Servando Gómez Martínez, conhecido como “la Tuta”, líder do cartel Cavaleiros Templários, informou a Comissão Nacional de Segurança (CNS).

A detenção Servando Gómez Martínez foi levada a cabo em Morelia, capital do estado de Michoacán, numa operação realizada pela Polícia Federal, em que não foi disparado nenhum tiro.

O governo mexicano oferecia uma recompensa de 30 milhões de pesos (cerca de 1,7 milhões de euros) por informações que levassem à captura de “la Tuta”.

Servando Gómez Martínez, antigo professor da escola primária, de 49 anos, foi levado de helicóptero para a Cidade do México.

“Hoje [sexta-feira] alcançámos o objetivo mais importante na luta contra o crime organizado: a detenção do criminoso mais procurado em todo o México”, disse o ministro do Interior, Miguel Angel Osorio Chong.

Esta captura é referida pela agência AFP como uma vitória muito importante para o Presidente Enrique Pena Nieto, face às críticas da opinião pública sobre o combate à violência no estado vizinho de Guerrero, onde 43 estudantes foram mortos por um grupo de crime organizado, em conluio com a polícia local.

Pena Nieto disse que a prisão de Gomez “fortalece o Estado de Direito” e que o México continua a caminhar em direção a uma nação pacífica.

O diretor da agência federal de luta contra estupefacientes (DEA), Michele Leonhart, aplaudiu “mais uma vitória para o México na luta contra os cartéis criminosos brutais como os Cavaleiros Templários”.

Os Cavaleiros Templários surgiram em dezembro de 2010, após uma cisão no cartel da Família Michoacana e, desde então, têm aumentado o poder na região.

Para além do tráfico de droga em direção aos Estados Unidos, o grupo é acusado de extorsão, sequestros e homicídios.