A luz do sol entra pelo teto do escritório, como se estivesse a trabalhar no jardim. Lá fora há muitas árvores, as pessoas passeiam de bicicleta, o edifício funde-se com a natureza. É este o cenário projetado para as futuras instalações da Google, em Mountain View, na Califórnia.

O projeto é anunciado por David Radcliffe, vice-presidente do Mercado Imobiliário da Google, e está a ser elaborado pelos arquitetos Bjarke Ingels e Thomas Heatherwick. O objetivo, diz David no blog da empresa, é simples: construir “uma forma melhor de trabalhar”. Ao invés do “edifício tradicional imóvel”, haverá uma “estrutura com blocos que possam ser alterados facilmente”, ou seja, que se possam mover.

No plano para repensar os quatro prédios da gigante Google, consta uma cobertura transparente que permitirá a entrada de luz, a circulação de ar e o controlo da temperatura. Pretende-se que a sede esteja “integrada na natureza” e na comunidade.

Serão acrescentadas vias para bicicletas e prevê-se a ampliação do leito do rio. David Radcliffe anuncia ainda que a empresa se compromete a fazer “tudo o que for possível” para poupar no consumo energético. O responsável da empresa não avança, para já, uma data de concretização do projeto.