O Estado Islâmico anunciou a morte de um jihadista português, comandante da organização e conhecido por Abu Jwairiya Al-Portughali. A informação foi avançada por Elijah J. Magnier, jornalista correspondente do kuwaitiano Al Rai, e a SIC adianta que a morte ocorreu num atentado suicida em Kobane, na Síria.

À revista Sábado, o jornalista explicou que a informação tinha sido partilhada por um jihadista que esteve com o português na Turquia. A confirmar-se, Abu Juwairiya al-Portughali seria um dos 180 jihadistas libertados em setembro de 2014, numa troca de prisioneiros.

“Ele era temido até na prisão. Os prisioneiros não fumavam à sua frente porque fumar é proibido no EI”, revelou o jihadista na rede social, diz a Sábado.

Este é o quarto nome português que aparece ligado a mortes no Estado Islâmico, depois de Joni Parente, Sandro Monteiro e Mickael Batista. Tal como nas restantes, as mortes não foram confirmadas pelas autoridades portuguesas.

José Cesário, secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, disse à Sábado que não tinha conhecimento desta morte. “Nós não temos embaixada na Síria, portanto o mais provável é que nunca venha a saber”, revelou.

Além das quatro mortes, foram divulgadas outras identidades de portugueses na Síria, como Celso Rodrigues da Costa (Abu Issa Al Andalusi), Fábio Poças (AbduRahman Al Andalus), Edgar Rodrigues da Costa (Abu Zakaria Al Andalusi), Dylan Omar (Omar Khattab), Steve Duarte (Abu Muhajir Al Andalous), Mickaël dos Santos (Abou Uthman), Ânglea B e Nero Saraiva.