É a primeira defesa de Passos vinda do Governo – para além de Mota Soares, responsável pela Segurança Social: O ministro da Saúde, Paulo Macedo disse, no programa Terça à Noite da Renascença, que o mais importante é todos terem as suas obrigações regularizadas – no que à vida tributária diz respeito. Em causa, claro, está a polémica em torno das dívidas de Passos Coelho à Segurança Social.

“Relativamente à nossa vida tributaria e cumprimento de obrigações, elas têm de ser obviamente cumpridas e encaradas de uma forma bastante séria, porque pagar impostos é um dever de cidadania. E este é um aspeto muito claro. Por outro lado, se a pessoa paga num mês, no mês a seguir, se paga com juro, etc, [acho que] desde que esteja dentro do sistema, cumpra e tenha as suas obrigações regularizadas, isso parece-me o mais importante”, disse.

Esta quarta-feira, Passos verá o tema a marcar o debate quinzenal na Assembleia. Os partidos da oposição já deixaram claro não estarem satisfeitos com as respostas do primeiro-ministro sobre as suas anteriores dívidas e até António Costa já garantiu que o PS levará o caso ao debate.

O ministro da Saúde, ex-responsável máximo pela máquina fiscal, diz que tem havido uma evolução “muito significativa” da relação que os portugueses têm com o cumprimento das suas obrigações. “Acho que isso é positivo e neste caso concreto a situação está regularizada. E, depois, parece-me que se está a fazer todo um aproveitamento à volta disto”, afirmou Paulo Macedo.