Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

No debate quinzenal da semana passada Passos Coelho negou claramente a existência de uma lista de contribuintes VIP.

“Já é público que a Autoridade Tributária desmentiu essas notícias”

“Não há nenhuma bolsa VIP”.

As notícias da existência desta lista surgiram depois de o Jornal de Negócios noticiar que 27 funcionários do fisco iriam enfrentar um processo disciplinar por acederem aos dados do primeiro-ministro. Além do mais, esses processos aplicavam-se também aos trabalhadores que entraram no cadastro contributivo das pessoas que constariam de uma lista VIP de contribuintes, conforme afirmado o presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos.

Sobre estes processos, Passos Coelho disse que sabe aquilo que já havia explicado em declarações públicas.

“No que respeita a mim próprio, nunca agi pedido à AT a instauração de qualquer processo disciplinar ou de averiguação”.

O primeiro-ministro diz que soube da consulta ao seu processo através das notícias que foram publicadas.

“Fiquei a saber que não era só o meu caso”.

Para Passos Coelho, a responsabilidade está nas mãos da Autoridade Tributária.

“Os termos em que a AT procura averiguar internamente sobre a forma como cada funcionário atua é matéria da AT”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Mas o que irritou o primeiro-ministro português foi Ferro Rodrigues, quando o líder da bancada parlamentar socialista o acusou de faltar à verdade.

“Acha que eu posso desmentir em nome da AT? Acha que eu posso dizer que a AT faz desta maneira ou doutra sem consultar a própria AT? Acha que eu respondo por todos os funcionários públicos que existem no Estado? Acha isto realista?”.