O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, António Costa, anunciou hoje que irá apresentar, na quarta-feira, em reunião da câmara, um pedido de renúncia ao mandato.

Hoje, no final dos trabalhos da reunião da Assembleia Municipal de Lisboa, António Costa pediu para fazer uma intervenção anunciando que esta seria “a última reunião” na qual estaria presente.

“Amanhã [terça-feira], na reunião de Câmara, irei apresentar o pedido de renúncia ao mandato”, afirmou. António Costa marcou uma declaração à imprensa para as 12h de quarta-feira nos Paços do Concelho.

A decisão do autarca surge depois deste estar a ser criticado internamente por estar a acumular o cargo na Câmara com a de secretário-geral do PS, quando devia estar apenas centrado no partido.

Em fevereiro, o vice-presidente da câmara, Fernando Medina, garantia, em entrevista ao Diário Económico, que Costa só sairia da câmara depois de ser eleito primeiro-ministro. Na altura, Medina falou de mais, não era suposto dizer aquilo, admitiu ao Observador fonte próxima de Costa, recordando que o autarca, nesse momento, início de fevereiro, não estava a ser pressionado quanto a timings.

Costa, que é presidente da câmara desde 2007, nunca quis responder sobre qual o momento certo para se dedicar em exclusivo ao partido. Quando foi eleito secretário-geral do PS, em novembro, limitou-se a dizer: “Para já, exercerei o meu mandato que é que o me compete fazer”.

As últimas sondagens, contudo, não revelam um PS em grande crescimento e a distanciar-se do PSD, mostram antes uma performance ao nível do PS de António José Seguro, que Costa criticou e contra o qual se candidatou por achar que faria melhor à frente do partido. Embora Costa diga que “não conta” sondagens, mas “votos”, o nervosismo instalou-se no partido, que agora aplaude a decisão do secretário-geral.

A oposição, por seu lado, reagiu com críticas. O líder parlamentar do PSD afirmou que a decisão de António Costa renunciar ao seu mandato como presidente da Câmara de Lisboa permite constatar que, “uma vez mais”, não leva os seus mandatos até ao fim.

Luís Montenegro falava à entrada para uma reunião da bancada do PSD, depois de questionado pelos jornalistas sobre o significado da decisão de António Costa ter anunciado hoje que na quarta-feira apresentará um pedido de renúncia ao seu mandato de presidente da Câmara Municipal de Lisboa.

“Constato que mais uma vez o dr. António Costa não leva até ao fim um mandato político. É a única coisa que gostaria de dizer por enquanto”, declarou o presidente do Grupo Parlamentar do PSD.

O vereador do CDS-PP na Câmara de Lisboa, João Gonçalves Pereira, defendeu que “há mais vida para além de Costa” no município e que a cidade viverá bem sem o atual presidente da autarquia. “Nos últimos meses tem-se notado a ausência do senhor presidente devido às suas funções de secretário-geral do PS”, pelo que “há mais vida para além de Costa e Lisboa viverá bem” depois da sua saída, afirmou João Gonçalves Pereira.