Rádio Observador

Receitas

Bolo de laranja, coco e azeite

212

Para ir enchendo a mesa da Páscoa de doces, Teresa Rebelo, do blogue Lume Brando, sugere esta alternativa às amêndoas.

Teresa Rebelo

Autor
  • Teresa Rebelo

No inverno, sabe bem ligar o forno porque está frio e precisamos de comida que nos aconchegue. Fazemos um bolo que comemos ainda morno, a acompanhar um chá ou um café longo, cuja caneca, antes de cumprir a sua verdadeira missão, já fez de luvas quentinhas. E que bom que é aquele momento antes do primeiro trago, em que embrulhamos a caneca com os dedos e nos encolhemos, na tentativa de sacudir os calafrios.

Na primavera, sabe bem ligar o forno porque há bons motivos para celebrar. Porque nos sentimos com mais energia e queremos assinalar os recomeços. Fazemos um bolo porque nos apetece brindar à chegada dos dias mais compridos e luminosos. Porque queremos fazer um lanche no jardim. Ou porque é tradição termos uma mesa de Páscoa cheia de coisas boas e bonitas.

bolo_laranja_coco_azeite

Bolo de laranja, coco e azeite

Para o bolo:
4 ovos L
200 g de açúcar
60 g de coco
40 g de azeite suave ou frutado
Raspa de 1 laranja
Sumo de 1 laranja
150 g de farinha sem fermento
1 colher de chá de fermento em pó
1 colher de chá de bicarbonato de sódio

Para a calda:
Sumo de 2 laranjas
1,5 colheres de açúcar (ou a gosto)

Para o recheio e cobertura/ decoração:
200 ml de natas para bater (mínimo 35% gordura), que devem estar bem frias
1,5 colheres de sopa de açúcar (ou a gosto)
4 gotinhas de extrato de baunilha (opcional)
Algumas gotas de sumo de limão
Gomos de laranja sem pele
Folhinhas de hortelã

Pré-aqueça o forno nos 180º. Unte bem com manteiga e polvilhe com farinha duas formas de 20 cm de diâmetro. Forre os fundos com papel vegetal e volte a untar/polvilhar.
Numa taça, bata bem os ovos com o açúcar.
Junte o azeite e o sumo de laranja e misture bem. Junte a raspa de laranja e o coco e por fim envolva a farinha, o fermento e o bicarbonato de sódio. Distribua pelas duas formas e leve a cozer durante 25-30 minutos (vá olhando para o forno e faça o teste do palito para ver se estão cozidos, antes de retirá-los: espete o palito no centro dos bolos e se sair seco, estão prontos).
Desenforme e deixe arrefecer sobre uma grade ou uma base que não o prato de servir.
Entretanto faça a calda: leve ao lume o sumo das laranjas com o açúcar. Deixe fervilhar até o açúcar se ter dissolvido. Pique os bolos já frios com um palito e regue-os com esta calda.
Bata as natas em chantilly com o açúcar e a baunilha, até ficar um creme bem firme. A meio do processo pode juntar umas gotinhas de limão, que vão ajudar a ‘prender’ o chantilly.
Para rechear e montar, coloque um dos bolos no prato de servir. Coloque uma boa camada de chantilly por cima do bolo. Coloque o outro bolo por cima e barre todo o bolo com o restante chantilly. Decore com os segmentos de laranja e a hortelã. Guarde no frio até servir. Este é um bolo que fica melhor feito com algumas horas de antecedência ou até de véspera, desde que guardado no frio. Se for este o caso, descasque a laranja e retire a pele dos gomos para a decoração, apenas na hora de servir.

Boa Páscoa!

Teresa Rebelo é autora do blogue Lume Brando.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)