Familiares dos dois australianos executados esta semana na Indonésia chegaram hoje a Sydney num voo onde devem ter sido transportados os corpos dos dois homens, cuja morte o primeiro-ministro Tony Abbott considerou “cruel e desnecessária”.

Andrew Chan, 31 anos, e Myuran Sukumaran, 34 anos, foram mortos na madrugada de quarta-feira por um pelotão de fuzilamento depois de terem sido condenados por tráfico de droga quando pretendiam embarcar da ilha indonésia de Bali para o seu país.

OS dois homens permaneceram dez anos no corredor da morte e acabaram executados com num grupo de sete estrangeiros e um indonésio executados pelo crime de tráfico de droga, incluindo o brasileiro Rodrigo Gularte que, alegadamente, padecia de problemas mentais e, à luz da lei indonésia, não poderia ter sido executado.