Perto de 5% dos 111 mil alunos que esta quarta-feira foram chamados a fazer a prova escrita de inglês da Universidade de Cambridge não puderam realizar o teste, devido a uma greve de professores convocada por sete organizações sindicais. Os dados são do Instituto de Avaliação Educativa (IAVE), que em comunicado sublinha que esta percentagem é ainda provisória e que houve 2% das escolas onde nenhum aluno escreveu uma linha.

O Ministério da Educação instituiu o Preliminary English Test (PET) da Universidade de Cambridge como prova obrigatória para todos os alunos do 9º ano. Essa prova tem várias componentes e visa diagnosticar o nível de inglês dos alunos do 2º e 3º ciclos de escolaridade. Esta quarta-feira realizou-se a parte escrita do teste.

Cerca de 2.300 professores foram mobilizados para vigiar a prova, mas a Fenprof e outras seis organizações sindicais convocaram uma greve. A Fenprof, aliás, fez uma queixa à Procuradoria-Geral da República que levou a Polícia Judiciária a iniciar uma investigação para analisar a parceria estabelecida entre o Estado e algumas empresas para a realização do teste.