O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, e o Presidente russo Vladimir Putin discutiram esta quinta-feira por telefone a cooperação energética entre os dois países e o prolongamento por território grego do gasoduto “Turkish Stream”, indicou o gabinete do primeiro-ministro.

Tsipras “repetiu que o Governo grego está pronto a participar através de uma empresa pública” na construção do gasoduto na Grécia, indica o comunicado.

Por sua vez, o Presidente russo “exprimiu a sua intenção de apoiar um plano de financiamento da empresa grega que vai construir o gasoduto”, cujo financiamento poderá “ser reembolsado pelas receitas dessa empresa”.

Segundo um comunicado do Kremlin, Putin “confirmou que a Rússia estava disposta a estudar a questão de um financiamento das empresas públicas ou privadas gregas que vão participar no projeto”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na deslocação de Tsipras a Moscovo no início de abril, Putin tinha já evocado a possibilidade de projetos comuns de infraestruturas. A construção de um gasoduto desde a Rússia até à fronteira grego-turca ainda permanece em projeto, sem a assinatura de qualquer contrato definitivo para o início dos trabalhos.

Este gasoduto deve compensar o abandono do projeto “South Stream” em direção à União Europeia, interrompido pela Rússia devido ao bloqueio da Comissão Europeia.

Em paralelo, o responsável norte-americano da Energia, Amos Hochstein, encontra-se sexta-feira com seu homólogo grego, Panayiotis Lafazanis, e com o ministro dos Negócios Estrangeiros, Nikos Kotzias.

O primeiro-ministro da Grécia deve regressar a Moscovo entre 18 e 20 de junho, no âmbito de um fórum económico.

Ao contrário do que estava anunciado, Tsipras não vai comparecer nas celebrações dos 70 anos da vitória soviética sobre a Alemanha nazi, que decorrem sábado em Moscovo. A Grécia vai fazer-se representar nas cerimónias pela presidente do parlamento, Zoe Konstantopoulou, mas não está excluída a presença de um outro membro do governo.