O secretário norte-americano da Segurança Interna, Jeh Johnson, afirmou hoje viver-se uma nova fase de ameaça terrorista global devido ao domínio das redes sociais da internet pelo autodenominado Estado Islâmico (EI).

Em entrevista à cadeia televisiva ABC, o governante referiu que passou a haver um novo contexto devido ao “uso das redes sociais e da internet pelo EI e que, assim, consegue alcançar pessoas no território” dos Estados Unidos, como “lobos solitários”.

Com a internet, o governo dos Estados Unidos receia que não haja avisos sobre a ação de um “ator independente”.

“É por isso que as forças da ordem locais devem estar mais atentas do que nunca”, considerou Jeh Johnson, que insistiu na necessidade de envolver as comunidades na luta contra a propaganda jihadista.

“Tem de vir do interior da comunidade. Tem de vir dos líderes islâmicos, que, sinceramente, podem encontrar melhor as palavras que o Estado federal”, disse.

Os Estados Unidos reforçaram, como medida de precaução, a segurança nas suas bases militares devido a uma ameaça jihadista e, na sexta-feira, o diretor do FBI, James Comey, admitiu a preocupação das autoridades com as incitações do EI, na internet, para “agressão aos militares e agentes da ordem”.