Dois dos bancos britânicos que são referidos pela justiça norte-americana como tendo sido utilizados pelos 14 suspeitos de estarem envolvidos num esquema de corrupção da FIFA já abriram investigações internas. São eles o Barclays e o Standard Chartered, de acordo com uma notícia que está a ser avançada pela BBC.

Embora estas duas instituições financeiras, assim como o HSBC, não tenham sido acusadas de qualquer irregularidade surgem mencionados na investigação do FBI, em torno do escândalo de corrupção na FIFA, que rebentou na passada quarta-feira e que levou já à detenção de sete dos 14 suspeitos.

Ainda de acordo com a BBC, tanto o Barclays como o HSBC se recusaram a comentar, enquanto que o Standard Chartered confirmou que estava a averiguar essas transações.

Já na sexta-feira as autoridades britânicas tinham revelado que estavam a investigar o “material em seu poder”, relacionado com este escândalo. De salientar ainda que estes são apenas três (os maiores) das dezenas de bancos que surgem referidos no relatório de 164 páginas do FBI.

Na quarta-feira, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos indiciou nove dirigentes ou ex-dirigentes e cinco parceiros da FIFA, acusando-os de associação criminosa e corrupção nos últimos 24 anos, num caso em que estarão em causa subornos no valor de 151 milhões de dólares (perto de 140 milhões de euros). A investigação alega que os suspeitos terão cometido vários crimes desde 1991, entre extorsão, fraude, o “pagamento sistemático de subornos” e lavagem de dinheiro.

Sete dos 14 suspeitos já foram detidos em Zurique, na Suíça, na quarta-feira, pela Procuradoria-Geral da Suíça, a mando da justiça norte-americana.