São raras as discussões sobre bolos que não terminam com um dos seus intervenientes a exultar as criações da respetiva avó. E apesar de nem sempre ser possível confirmar se há, de facto, motivos para essa exultação, o argumento costuma ser aceite. Afinal, avó é avó. Mas no caso da neta de Maria João Mouzinho essa dúvida nunca substirá. Basta visitar o seu novo espaço, O Bolo da Nonna, e provar a criação que lhe deu origem: um magnífico bolo de chocolate que resiste à colher por fora mas que se desfaz como manteiga por dentro.

2 fotos

“Há muitos anos que tenho esta receita, que sempre fiz em casa”, conta ‘Mizé’, como lhe chamam. Mas quando o filho, Miguel Mouzinho, abriu uma hamburgueria na LX Factory, a Burger Factory, o chamado Bolo da Nonna ganhou nome — “a minha neta começou a chamar-me ‘nonna’ e agora até acho estranho se ela disser ‘avó'” — e, importante, fama. Não demorou a tornar-se a sobremesa mais apetecível da casa ao ponto de, conta a autora (e sócia do restaurante), “continuar a haver pessoas que ligam a pedir para reservar fatias”.

E se primeiro ganhou fama, agora ganhou asas. “O meu filho já queria há algum tempo arranjar um cantinho para o Bolo da Nonna”, diz Maria José. Assim foi: o cantinho — e é disso mesmo que se trata, um cantinho — foi encontrado na Praça das Flores, no Príncipe Real, em Lisboa. O espaço é tão acolhedor como pequeno, mas se os homens não se medem aos palmos, as casas de bolos muito menos. A decoração, aliás, não podia se podia apropriar mais ao conceito: parece tal e qual uma casa de avó, cheia de quadros e móveis antigos, como é o caso das mesas que foram de costura e agora são de refeição.

“Eu e o Miguel somos os criativos da família”, explica a responsável. Deve-se, portanto, a ambos o conceito do espaço, que  apesar do nome vende bem mais do que o dito bolo. Este não deixa, no entanto, de ser o ex-líbris da casa. E a única guardiã da receita original é mesmo Maria José. Pelo menos para já.

4 fotos

Só que uma casa, geralmente, não se faz de um produto só. E esta não é excepção. Assim, para ajudar a compor a oferta, O Bolo da Nonna emprega dois chefs pasteleiros: Jonathan, formado numa academia sul-africana, e o português Ruben, da Escola de Hotelaria de Lisboa. Juntos têm vindo a desenvolver uma série de receitas, de onde se destacam os queques de vários sabores. “Aconteceram um pouco por acaso. Um dia estávamos a experimentar reduzir as doses e criámos o primeiro”, conta Ruben. A experiência foi tão bem sucedida que pegou, ao ponto de grande parte da montra se compor agora de queques salgados, de bacon e queijo, ou doces, de café ou pão-de-ló, entre outros. Mas não é tudo: entre outras opções contam-se um muito elogiado bolo de ananás, que até começou por ser de banana são tomense, e panquecas que podem (e devem) ser acompanhadas com o caramelo salgado caseiro de Jonathan.

2 fotos

“Estamos sempre a pensar no que é que podemos fazer amanhã”, revela Maria José, que como boa documentalista que foi, passa grande parte do tempo a ler e investigar receitas. Esse amanhã trará outras opções doces e salgadas, como um queque de caril (outra receita da família) ou diversas sopas para beber em chávena. E apesar de haver sumos naturais, chás, batidos e até vinho a copo para acompanhar tudo isto, são as águas aromatizadas com diversos frutos e vegetais que cumprem de forma mais eficaz a missão de matar a sede do cliente. “Fazemos a infusão aqui e ficam deliciosas”, garante a ‘nonna’. E é de acreditar: palavra de avó é sagrada.

Nome O Bolo da Nonna
Morada Praça das Flores, 41-43 (Príncipe Real), Lisboa
Telefone 21 395 1231
Horário Todos os dias, das 10h00 às 20h00