O governador do Banco central da Alemanha, Jens Weidman, afirmou esta quinta-feira que o risco de a Grécia entrar em incumprimento aumenta a cada dia que passa e que quem mais tem a perder com este cenário é a Grécia e o povo grego.

“O tempo está a esgotar-se e o risco de incumprimento está a aumentar a cada dia que passa”, disse o responsável alemão num evento em Londres.

Sobre os danos colaterais de um eventual incumprimento grego, Jens Weidman diz que os riscos estão hoje mais bem contidos que no passado, “não devem ser subestimados” e que “os maiores perdedores neste cenário seriam a Grécia e o povo grego”.

No mesmo discurso em que disse que existe uma “grande determinação para ajudar a Grécia a melhorar a sua administração pública, a remover obstáculos ao crescimento económico e a colocar as suas finanças públicas num caminho sustentável”, Jens Weidman não deixou passar a oportunidade de fazer mais uma uma crítica aos responsáveis gregos: “Os contribuintes dos restantes países da zona euro têm providenciado fundos substanciais para apoiar o inevitável processo de ajustamento”.