Uma agência de comunicação tunisina criou cartazes publicitários com imagens dos grandes ataques terroristas das últimas décadas para motivar o turismo no país. A campanha surgiu após o ataque do dia 26 de junho em Sousse que vitimou 39 pessoas. O objetivo é recordar aos viajantes que as grandes capitais do turismo, como Londres e Nova Iorque, continuam populares após os ataques bombistas que sofreram.

As imagens propositadamente provocadores foram criadas por Selin Ben Hadj Yahia da Ramdam.in e foram partilhadas no Facebook. Ao invés de solidariedade, os pósteres têm gerado polémica. As imagens acompanhadas da pergunta “Would you stop visiting?” (“Deixaria de visitar?”, em português) têm sido criticadas devido ao uso de imagens fortes de massacres internacionais. O criador da campanha diz que foi propositadamente controverso, porque “o terrorismo afeta todos e é essa a ideia central das imagens.”

Hadj Yahia quer evitar um impacto negativo dos eventos do final de junho no turismo pois o setor é uma das maiores fontes de rendimento para a Tunísia. A campanha não tem fins monetários, nem foi aprovada pelo Ministério do Turismo da Tunísia. O criador diz que o seu projeto quer dar esperança ao povo tunisino, “A Tunísia não foi o único país que sofreu um ataque por parte do terrorismo e vai conseguir ultrapassar este momento difícil.”

Nas redes sociais, as opiniões dividem-se. Há quem considere que a campanha se está a aproveitar de outras tragédias para vender viagens ao país, enquanto outros acham que a campanha é positiva para a Tunísia. A Tunísia ainda está em estado de emergência após os ataques do passado dia 26 de junho.