Os tribunais britânicos decidiram esta sexta-feira que a disputa entre o Novo Banco e a Oak Finance, veículo criado pela Goldman Sachs, devido a um empréstimo de 835 milhões de dólares ao BES deve ser decidido no Reino Unido, noticia a agência Bloomberg.

Esta decisão contraria as pretensões do Novo Banco que queria que o caso fosse julgado em Portugal, alegando que os tribunais portugueses são os mais competentes sobre o assunto, já que envolve empréstimos de cerca de 760 milhões de euros ao Banco Espírito Santo (BES) pelo Goldman Sachs através da Oak Finance, uma operação que foi feita dois meses antes do colapso do banco português.

Segundo a Bloomberg, o Goldman Sachs quer garantir que a dívida é paga pelo Novo Banco apesar de o Banco de Portugal ter decidido transferir a dívida para o BES, onde a probabilidade de reembolso é altamente remota.

A ação em Londres foi colocada por um grupo de investidores internacionais que ‘comprou’ dívida do BES em junho de 2014 através da sociedade veículo do Goldman Sachs, a Oak Finance, sendo que um dos investidores é o fundo de pensões da Nova Zelândia.

O processo foi aberto no Reino Unido em fevereiro deste ano, já que, segundo os advogados do Goldman Sachs, o empréstimo da Oak Finance ao BES está na órbita da lei inglesa e na jurisdição dos tribunais ingleses.