A Avenida Ribeira das Naus, em Lisboa, está cortada ao trânsito desde a passada segunda-feira. Segundo informações prestadas por um agente policial ao Observador, na origem da situação está o facto de algumas tábuas da ponte que passa sobre um braço do Tejo estarem muito danificadas devido ao peso dos carros que diariamente lhes passam por cima.

Uma equipa de fiscalização da Câmara Municipal de Lisboa esteve esta quarta-feira à tarde no local a avaliar o estado da ponte de madeira, mas nenhuma das pessoas quis falar com o Observador, justificando que não tinham autorização para tal. A ponte apresenta sinais de grande degradação. Muitas tábuas estão lascadas e partidas e a estrutura de ferro que sustenta a madeira tem falhas em vários locais. Em alguns pontos, a olho nu, dá a sensação de que a ponte abateu ligeiramente. Excetuando uma retroescavadora que se encontrava na Doca da Caldeirinha, não era visível mais nenhum sinal de trabalhos na zona.

Na segunda-feira, a câmara enviou uma nota à comunicação social a dar conta do encerramento daquela via para se realizarem “trabalhos de manutenção”. Nessa nota não era explicado o motivo nem o prazo previsto para a intervenção. O Observador questionou a autarquia esta quarta-feira, mas não obteve resposta. Mais tarde, a autarquia adiantou que o espaço será reaberto a 3 de setembro, após realização de trabalhos de manutenção e substituição do piso do passadiço.

A nova Ribeira das Naus foi inaugurada em março de 2013. Poucos dias depois já havia vários buracos e rebaixamentos, bem como muitas pedras soltas, o que levou o empreiteiro a fazer as primeiras reparações. Depois, em julho do ano passado foi aberta ao público a segunda fase do projeto, que dotou o local de espaços verdes e de lazer.

Nota: Notícia atualizada às 22:30 com informação da data de reabertura