Rádio Observador

Sushi

De viciados a principiantes, há sushi para todos no novo Tsubaki

129

Tem sushi para quem não gosta de peixe cru e o reconhecido chef Paulo Morais como consultor. Leia as seis coisas que precisa de saber sobre o novo restaurante de comida japonesa do Saldanha, Tsubaki.

Autor
  • Sílvia Silva

1. Há sushi para principiantes

Sempre quis experimentar sushi mas nunca teve coragem? No Tsubaki há um prato especialmente pensado para si. Chama-se “sushi para principiantes” (13€) e leva nigiris braseados e rolos sem peixe cru. Na carta do restaurante ainda entra um prato de sushi para crianças (9€) e menus de degustação (entre 40€ a 45€) compostos por oito pratos e sobremesa.

2. Não é um restaurante japonês tradicional

Quando a gastronomia tradicional japonesa é adaptada às técnicas europeias e aos produtos sazonais da estação, temos o Tsubaki. Uma fusão dos sabores típicos do Japão com a cozinha contemporânea europeia que resulta numa ementa não só de sushi mas também de massas, tempuras, assados e grelhados na chapa, e onde ingredientes como soja, wasabi e gengibre podem ser combinados com vinho português. Até a localização do restaurante, no Turim Saldanha Hotel, em Lisboa, é um prenúncio da sua veia moderna (apesar de ter uma entrada independente).

Restaurante Tsubaki 030

Existem menus de almoço de sushi, sashimi, tempuras que rondam os 10€ e os 15€ por pessoa com água ou chá incluído. © Tsubaki

3. A ementa foi feita por um mestre da cozinha japonesa

E ele é, nem mais, nem menos, do que o chef Paulo Morais, um dos maiores especialistas deste tipo de cozinha em Portugal que já esteve à frente de espaços como o Midori ou o Umai. Paulo iniciou a sua carreira como profissional da área há cerca de 26 anos quando, por mero acaso, começou a trabalhar num restaurante japonês. “Apaixonei-me pelo facto de trabalharmos em frente ao cliente, seja atrás de um balcão, a preparar o sushi, ou atrás da chapa a grelhar”, conta o mestre ao Observador. Hoje, é o chef consultor do Tsubaki — elaborou a carta e formou todos os cozinheiros que lá trabalham.

sushi, cozinha japonesa, tsubaki,

O chef Paulo Morais é um apaixonado pela cultura japonesa e já trabalha há mais de 26 anos com este tipo de gastronomia tradicional. © Sebastião Almeida/Observador

4. O chef mostra-lhe como comer com pauzinhos

A tradição manda: quem come comida japonesa deve comer à moda japonesa. Por isso, assim que se sentar só vai encontrar pauzinhos em cima da mesa. A boa notícia é que pode perguntar a qualquer um dos chefs para lhe ensinar a manusear de forma correta esta ferramenta. Seja o chef de cozinha Luís Almeida ou o sushichef Rui Santos, ambos estão disponíveis para o ajudar. Em último caso, não desespere e peça talheres. Nunca faça é isto.

5. Tem um menu de degustação de sobremesas japonesas

Para além do “Tsubaki Dezato” (9€), uma degustação de sobremesas tradicionalmente japonesas, existem outras opções como sushi doce (5€), tiramisú de chá verde (5€) e até um crème brûlée com licor de ameixa japonesa, gengibre e sésamo preto (5€). Num futuro próximo, a ementa vai sofrer alterações com a introdução de ingredientes sazonais como os cogumelos, dióspiro, romã e castanhas, mesmo a tempo do outono.

Restaurante Tsubaki 039

O crème brûlée com licor de ameixa japonesa, gengibre e sésamo preto é um dos favoritos dos clientes. © Tsubaki

6. Tsubaki é o nome de uma personagem de anime

Se o nome não lhe parecer estranho, é normal. O chef Paulo Morais é viciado em anime e Tsubaki é um dos nomes mais comuns entre as personagens femininas deste tipo de animação produzida no Japão. Contudo, também é a palavra japonesa para a planta Camélia. A equipa inspirou-se no facto de terem sido os portugueses a introduzirem esta planta no mundo ocidental em 1543 e o nome ficou.

Nome: Tsubaki
Morada: Rua Latino Coelho, 23 (Saldanha), Lisboa
Telefone: 21 049 2320
Horário: De segunda a sexta, das 12h às 15h e das 19h às 23h. Fins-de-semana e feriados, das 19h às 23h.
Preço médio: 25€
Reservas: Aceitam

Texto editado por Ana Dias Ferreira.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)