Mundo

Presidente da Guatemala demite-se. É o primeiro a fazê-lo naquele país

Otto Pérez já não é Presidente da Guatemala, com o parlamento daquele país a aceitar por unanimidade a sua demissão. Foi emitido um mandato de prisão pela acusação num escândalo de corrupção

Pérez Molina foi eleito em 2011 e é um general na reserva

JOHAN ORDONEZ/AFP/Getty Images

O Parlamento da Guatemala aceitou por unanimidade, esta quinta-feira, a demissão do presidente Otto Pérez Molina, acusado de estar envolvido num esquema de corrupção. Depois de meses de investigações e protestos, Otto Pérez decidiu abandonar o cargo na passada quarta-feira, dias antes das eleições nacionais marcadas para o próximo domingo. Agora, é ao vice-presidente Alejandro Maldonado — no cargo há pouco tempo, depois de o seu antecessor se ter demitido na sequência do mesmo escândalo — quem cabe liderar a nação.

Mas estar fora do gabinete não significa que os problemas de Otto Pérez tenham acabado, salienta a CNN, uma vez que foi emitido um mandado de prisão a propósito do escândalo de corrupção. O ex-presidente, que compareceu em tribunal esta quinta-feira, está proibido de sair do país.

Apesar dos mais recentes acontecimentos, o general aposentado de 64 anos garantiu a sua inocência à Associated Press, a mesma publicação que fala num drama político sem precedentes que acontece depois de Otto Pérez ter sido despojado da sua imunidade e abandonado pelos principais membros do seu gabinete. É o primeiro presidente da Guatemala a demitir-se. Pérez Molina foi eleito em 2011 e é um general na reserva que participou na guerra civil que assolou o país durante 36 anos.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: acmarques@observador.pt
Mundo

O poder mobilizador da rejeição /premium

Diana Soller

Um discurso negativo, de rejeição de alguma coisa, independentemente de ser factual ou inventado, tem muito mais impacto junto das populações que um discurso positivo, construtivo ou inclusivo.

Mundo

Delitos de Opinião

António Cruz Gomes

Parece chegado o momento premente dos “Políticos” de cada País determinarem o que deve mudar para salvação do Mundo e preservação da nossa descendência.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)