O efeito rentrée não se vê apenas na agenda cultural, na vida política, no regresso às aulas e na súbita vontade de aproveitar melhor o tempo livre pós-férias. Vê-se nos suspiros dentro das lojas e na vontade de usar botas, casacos e ponchos quando na rua ainda está um calor húmido e há nadadores-salvadores nas praias.

Porque é que acabamos o verão tão cedo?, pergunta o New York Times. A resposta, como também aponta o artigo, pode estar na nossa predileção por tweed a cheirar a novo. Ou, por outras palavras, por estrear roupa de outono (onde esse tecido de lã se inclui).

Como conjugar então a vontade de usar as novas coleções e tirar os casacos do armário quando as temperaturas ainda derretem gelados em segundos? A solução passa por aproveitar o melhor dos dois mundos e saber conjugar as peças certas de verão com as peças certas de outono.

1. Tapar e destapar — De dia está calor, à noite está fresquinho, e à hora de almoço a humidade faz o caminho do restaurante para o escritório parecer uma travessia na Amazónia. A solução? Usar a regra do tapar/destapar. Se as pernas ainda estão bronzeadas, porque é que os calções e saias já foram arrumados na prateleira mais alta? Esta é a altura ideal para os usar com camisolas de meia manga ou até casacos compridos.

2. Botins — No mundo da moda, o primeiro sinal de outono não são as folhas caídas no chão, são as ankle boots que o pisam. Por ankle boots entendam-se as botas pelo tornozelo, rasas ou com um pequeno salto. Aproveite agora para as usar com saias ou vestidos. O truque — que também pode ser conseguido com sapatos e meias curtas — é um dos mais usados pelas estrelas dos blogues de street style.

Processed with VSCOcam with hb1 preset

Danielle Bernstein do We Wore What. © Jeff Thibodeau

3. Tons mais escuros — Um vestido às flores pode ficar bem com um cartucho de castanhas assadas na mão? Pode, o truque está em escolher uma cor mais escura, seja preto, bordeaux ou verde. Outra opção é procurar os próprios tons que as folhas começam a ganhar nas árvores, dos laranjas ocre aos castanhos. A regra vale também na maquilhagem: à medida que o bronze se vai, é altura de substituir os batons nude ou coral por cores mais profundas como vermelho escuro ou ameixa.

4. Tecidos outonais — A ideia não é pegar no cachecol ou no chapéu de feltro mas sim em certos tecidos que não signifiquem uma sessão de banho turco e usá-los em peças habitualmente associadas ao verão. Exemplos: uma mini-saia ou vestido curto de camurça ou um top de malha de manga curta.

5. Meia gola — Para meia estação, meia gola. Isto é, pode subir a bainha das suas camisolas para cima, sobretudo se forem de mangas cavas ou curtas. Outra opção é continuar com as t-shirts mais um tempo mas apertar lenços curtos ao pescoço, quase como se fossem gargantilhas.

Na fotogaleria tem 15 exemplos de como pôr tudo isto em prática, para não olhar para o armário e perguntar “já é outono, já é outono?”, como as crianças nas viagens.