Do hip-hop aos piratas, da antiga Grécia aos videoclips de Jennifer Lopez, as argolas são um caso de longevidade e diversidade cultural. Penduradas nas orelhas, às vezes quase a roçar os ombros, as esferas transformadas em joias têm atravessado décadas com melhor ou pior reputação e estão agora de volta em força — a Vogue norte-americana escreve mesmo que são as gargantilhas deste verão.

Tão antigas como a civilização suméria — remontando portanto ao ano 2.600 antes de Cristo como forma de ornamentação — e com raízes profundas na história das comunidades negras, como escreve a I-D num artigo intitulado “Who owns hoop earings?”, as argolas estão a ser apropriadas nestes tempos quentes por it girls como as modelos Emily Ratajkowski e Bella Hadid, sendo também uma das propostas para o próximo outono/inverno de marcas de luxo como a Fendi, Michael Kors e Marc Jacobs (este último, nem de propósito, com uma coleção inspirada no início do hip-hop, uma das maiores manifestações urbanas e negras a privilegiar este tipo de joalharia).

Um fresco encontrado na Grécia e datado do século XVII mostra uma mulher com argolas. © Wikimedia Commons

Se Sade e Jennifer Lopez as tornaram indissociáveis de um rabo de cavalo bem puxado atrás, enquanto Cher preferia usá-las com os longos cabelos escorridos e Madonna numa orelha apenas, as argolas de 2017 continuam tão ou mais variadas do que o seu passado famoso. Douradas, prateadas, XL, com aplicações ou até em forma de coração, reunimos várias sugestões de compras e links de inspiração na fotogaleria.

View this post on Instagram

???

A post shared by ? (@bellahadid) on