Os Estados Unidos vão estender a outros fabricantes de automóveis a investigação sobre manipulação das emissões poluentes nos veículos a diesel, depois de a Volkswagen ter admitido que recorreu a tais dispositivos para contornar as regras antipoluição. A Agência federal de Proteção Ambiental norte-americana (EPA) anunciou hoje que vai analisar a presença dos chamados “dispositivos de manipulação” em veículos a diesel produzidos por outros fabricantes.

“A EPA e a CARB (organismo homólogo californiano” iniciaram testes a veículos já em circulação fabricados por outros construtores para detetar a presença de possíveis softwares maliciosos'” semelhantes ao detetado em veículos da Volkswagen, disse um porta-voz citado por agências internacionais.

O porta-voz recusou identificar os fabricantes que vão ser testados. Além da Volkswagen, vendem automóveis a diesel nos Estados Unidos a BMW, Chevrolet, Jeep e Dodge Ram.

A Volkswagen (VW), maior fabricante de automóveis do mundo, admitiu na sexta-feira à EPA ter equipado 482.000 automóveis nos Estados Unidos software para falsear o desempenho dos motores em termos de emissões para a atmosfera.

As regras ambientais vigentes nos Estados Unidos para este tipo de poluição determinam a imposição de multas que podem ascender aos 37.500 dólares (33.500 euros) por automóvel, o que significa que a VW pode vir a ter de pagar uma verba total superior a 18 mil milhões de dólares (16 mil milhões de euros).