Karl Andree, de 74 anos, vivia há 25 anos na Arábia Saudita quando, em junho de 2014, foi preso pela posse de álcool, que é considerado crime no país. Segundo a filha Kirston Piroth, Karl Andree transportava vinho no seu carro quando foi mandado parar pela polícia, que efetuou a detenção.

Recentemente começou a surgir um rumor: que Karl Andree poderia ser punido com 360 chibatadas, depois da demora na sua libertação, após Andree ter cumprido a pena de prisão que lhe foi imposta pelo governo da Arábia Saudita. Algo que, segundo o correspondente da BBC Frank Gardner, esteve sempre “fora de questão”. A garantia, conta o correspondente, já foi dada por responsáveis sírios ao ministério dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido.

Porém, pelo sim pelo não, os responsáveis do Reino Unido garantiram que o primeiro-ministro do país, David Cameron, intercederá junto do governo da Arábia Saudita, escrevendo uma carta em favor de Karl Andree. E o porta-voz oficial do primeiro-ministro, que classificou o caso de “extremamente preocupante”, reiterou que o governo já levantou a questão perante as autoridades da Arábia Saudita “diversas vezes”, e que tem feito os possíveis para que Karl Andree seja libertado “o mais rápido possível”.

Em declarações à BBC News, a filha de Andree, Kirsten Piroth, alertou que a sua família foi “levada a acreditar” que a pena não seria dada devido à idade e problemas de saúde do seu pai. Mas reiterou que, caso fosse submetido às 360 chibatadas, Karl Andree “não sobreviveria”.

É uma pessoa idosa, de 74 anos, [que] sobreviveu a três tipos de cancro com tratamentos muito pesados, [que] é asmático, [que] sofre de gota – ele não está muito bem.

O filho, Simon Andree, também prestou declarações à BBC News, pedindo a sua libertação: “A minha mãe sofre de demência e [a doença] está-se a deteriorar rapidamente”.