Fernando Pinto, o presidente executivo da TAP, é um dos novos administradores da sociedade Gateway Atlantic, criada pelo consórcio que venceu a privatização da companhia portuguesa.

O gestor brasileiro que lidera a TAP há 15 anos é um dos nomes que passou a fazer parte do conselho de administração que foi alargado de cinco para nove membros. Segundo avançou a SIC, Fernando Pinto continuará a liderar a transportadora. 

Dos órgãos sociais da Gateway fazem ainda parte Humberto Pedrosa e David Neeleman, os dois investidores da Gateway. Seis dos administradores não residem em Portugal, mas só quatro são de fora da União Europeia. 

Todos os administradores agora nomeados para um mandato de três anos já faziam parte do conselho da Gateway. O único a sair é Abílio Martins, ex-quadro da Portugal Telecom que trabalhou com David Neeleman na privatização da TAP. 

A entrada de Fernando Pinto na administração da Gateway foi avançada esta sexta-feira pelo Sol que cita a publicação feita pela empresa no portal da justiça. A alteração do contrato social da sociedade data de 5 de novembro, ou seja, ontem, e introduz também a obrigação de intervenção de dois gerentes para decisões que vinculem a sociedade.

O capital da Gateway Atântic de um milhão de euros é subscrito por Humberto Pedrosa, o dono da Barraqueiro, com uma quota de 510 mil euros que lhe garante o controlo da sociedade, como exigem as normas da União Europeia. David Neeleman, o empresário americano que é dono da companhia aérea Azul, tem uma quota de 490 mil euros.

A alteração dos estatutos da Gateway, futura acionista privada da TAP, no sentido de clarificar o controlo efetivo do empresário português, foi a principal condição imposta pelo regulador da aviação, a ANAC, para validar a compra de 61% do capital da transportadora aérea.

O contrato final de venda da TAP ainda não foi assinado. Chegou a correr a informação de que a operação seria fechada ainda esta semana, mas questões processuais terão protelado o ato formal para a próxima semana.