Encontrar a cura para os diferentes tipo de cancro, ou forma de os prevenir, tem sido um dos grandes desafios da comunidade científica no século XXI. Mas se o tema tem mobilizado algumas das maiores mentes científicas, eis que agora vai ser possível o mais comum dos cidadãos contribuir para a investigação. E não com doações em dinheiro – apenas descarregando e utilizando uma aplicação de smartphone.

Em coordenação com o Instituto Garvan de Investigação Medica da Austrália, a empresa de telecomunicações Vodafone australiana desenvolveu uma aplicação, chamada DreamLab, que como se diz no site Quartz, aproveita o poder de processamento do smartphone para a pesquisa do cancro. Na prática os utilizadores que descarregarem a aplicação podem ligar o telefone à corrente quando vão para a cama e, assim, durante a noite, os telemóveis vão receber tarefas genéticas sequenciais bem como dados para concluir as mesmas tarefas do Instituto Garvan. Em seguida a informação é enviada de volta ao Instituto. Ou seja, os telefones dos utilizadores vão ser aproveitados para o desenvolvimento da investigação científica. E para isso não é preciso fazer absolutamente nada. Aqui fica uma pequena explicação (vídeo em inglês):

https://www.youtube.com/watch?v=Y7pU8XOqORs

“O seu smartphone é pequeno mas um poderoso computador”, é dito no vídeo antes de se calcular que se apenas 1000 pessoas utilizarem a aplicação “as peças do puzzle do cancro serão resolvidas 30 vezes mais depressa”.

Esta app está atualmente disponível para dispositivos Android, sendo que para o iOS está ainda em desenvolvimento. Outra das características desta plataforma é a possibilidade de o utilizador escolher a quantidade de dados que quer enviar cada noite, bem como para que projeto quer contribuir – cancro do pulmão, dos ovários, do pâncreas ou da próstata.