Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Estátua da Liberdade, um dos símbolos maiores dos Estados Unidos, desenhada pelo francês Frederic Auguste Bartholdi e construída com o apoio de Gustave Eiffel, pode ter tido uma origem diferente do que dávamos por garantido.

O site Daily Beast conta que a estátua devia representar, no seu projeto inicial, uma camponesa muçulmana e deveria ter sido colocada no acesso ao Canal do Suez – com uma lanterna na mão para servir de farol às navegações e como símbolo do progresso.

estátua da liberdade

O desenho original de Frederic Auguste Bartholdi.

No entanto Bartholdi não terá conseguido vender a sua ideia ao Quediva do Egipto, Ishma’il Pasha (corresponde ao título de vice-rei atribuído pelo Império Otomano). Depois de se ver confrontado com esta rejeição, o francês terá apresentado o projeto aos Estados Unidos, viajando para o país com os desenhos da mulher muçulmana que personificava, nesta versão renovada, a liberdade.

A estátua localiza-se na Ilha de Bedloe (ou Ilha da Liberdade), mas o local ideal para Bartholdi seria a ponta de Manhattan ou o Central Park. Acabou por ficar mesmo na pequena ilha na Baía de Nova Iorque.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR