Alexis Tsipras conseguiu purgar o seu grupo parlamentar após as eleições de setembro, mas continua a enfrentar dissidências dentro do próprio partido. Dois deputados demitiram-se na quinta-feira, antes de ser aprovado um pacote de medidas de austeridade que poderá dar, finalmente, luz verde para a próxima fase do terceiro programa de resgate.

A maioria de parlamentares da coligação liderada pelo Syriza encolheu para apenas três deputados quando Stathis Panagoulis, do Syriza, se absteve e Nikos Nikopoulos, dos Gregos Independentes (outro partido da coligação), votou Não. Os dois deputados não concordam com as medidas que nos últimos dias foram acordadas entre o governo grego e os representantes dos credores e que, agora, poderão colocar a Grécia no bom caminho para receber uma primeira parte da tranche de 12 mil milhões de euros que está bloqueada desde outubro, à falta de progressos em Atenas.

O pacote de medidas que passou no parlamento, com uma maioria de 153 votos (total no parlamento é 300), inclui medidas mais restritivas para os bancos no que diz respeito à execução de hipotecas para quem não pagou as prestações em habitações permanentes. Esta tinha sido uma medida que tinha gerado controvérsia, entre o governo e os credores, mas conseguiu chegar-se a um compromisso quanto às regras que irão reger estes casos.

Onde o Syriza conseguiu uma vitória foi no cancelamento da subida do IVA para as escolas privadas, uma medida em que os credores insistiam mas que o governo grego, sob forte pressão interna, conseguiu substituir por uma subida do imposto sobre o vinho (20 cêntimos por litro) e um aumento das taxas sobre os jogos de sorte e azar, explica o Kathimerini.

Estas são algumas das medidas que levaram não só à oposição dos dois deputados mas, também, à demissão durante a manhã de quinta-feira de Gavriil Sakellaridis, que era porta-voz do governo no tempo de Tsipras/Varoufakis e que, agora, se demitiu por não concordar com a estratégia seguida pelo governo. Assim que Sakellaridis se demitiu, Tsipras substituiu-o de imediato e transmitiu uma mensagem de tolerância zero face a dissidências no grupo parlamentar.

Vem aí, agora, a discussão sobre mais um pacote de medidas, incluindo mudanças importantes no sistema de pensões e nos impostos sobre os agricultores. O que já foi aprovado, contudo, já poderá dar direito a que a Grécia receba parte da tranche de 12 mil milhões e se avance com o processo de recapitalização dos bancos.

(notícia corrigida às 15h25 com sentido de voto do deputado Stathis Panagoulis, que se absteve, não votou contra)