A Serra Leoa investiga a morte de uma mulher após um primeiro teste positivo ao Ébola na quinta-feira, poucas horas depois de a Organização Mundial de Saúde (OMS) ter declarado o fim da epidemia na África Ocidental.

A estudante morreu pouco depois de ter sido levada doente para a cidade de Bamoi Luma perto da fronteira com a Guiné, no norte do país, com um teste inicial a dar positivo para o vírus, disse fonte do Ministério da Saúde da Serra Leoa à agência noticiosa francesa AFP.

“Os resultados completos vão ser tornados públicos amanhã [sexta-feira]”, disse a fonte, indicando que estão a ser realizadas mais análises complementares.

“Uma equipa de alto nível de funcionários do Ministério da Saúde e parceiros-chave da OMS e do Centro de Controlo de Doenças, com sede em Atlanta (EUA), encontram-se na zona da capital para levar a cabo investigações intensivas”, disse o porta-voz do governo Abdulai Bayrayta após a nova suspeita.

A OMS anunciou na quinta-feira oficialmente o fim da epidemia de Ébola na África Ocidental, após ter terminado o período de transmissão da doença na Libéria.

Iniciada em dezembro de 2013 na Guiné-Conacri, a epidemia propagou-se depois aos vizinhos Libéria e Serra Leoa, três países que concentraram 99% dos casos, bem como à Nigéria e Mali.

Em dois anos, o vírus, identificado pela primeira vez há quatro décadas, chegou, importado, a Espanha e aos Estados Unidos, tendo afetado 28.637 pessoas, das quais 11.315 morreram.