O Governo de António Costa vai travar o programa Valorização do Empreendedorismo Emigrante (VEM) criado pelo anterior Executivo para apoiar o regresso de emigrantes a Portugal.

O primeiro concurso foi lançado em julho do ano anterior e a última fase de seleção de candidaturas termina esta terça-feira, dia 19. Segundo o gabinete do ministro-adjunto do primeiro-ministro, Eduardo Cabrita, a divulgação dos 30 finalistas será feita no dia previsto, esta terça-feira.

“O programa finalizará de acordo com o previsto, seguindo-se uma fase de avaliação por parte do Governo”, explicou ao Observador fonte oficial, o que significa que depois desta seleção o Executivo irá ver o que tenciona fazer no futuro, podendo acabar ou reformular este programa. As críticas de António Costa ao VEM são conhecidas.

Segundo informações do anterior Governo, tinham sido apresentadas 80 candidaturas/projetos de não residentes de 15 países que poderiam gerar 347 empregos. Cada candidato pode receber até 20 mil euros por projeto.

Em março do ano passado, quando Passos anunciou este programa, Costa veio criticar duramente o VEM considerando que não é um verdadeiro programa. “Nos últimos anos, o país perdeu 300 mil pessoas que partiram para o estrangeiro. Mais de 110 mil jovens. O que o Governo ontem veio apresentar, com a criação de 40 a 50 projetos, para poderem regressar [os emigrantes] é não ter mesmo consciência do que aconteceu ao longo destes três anos”, afirmou António Costa. “É algo que não dignifica aquilo que deve ser a consciência” do Governo.

Durante a campanha eleitoral, Costa voltou ao tema. “Acha que isso é governar com seriedade?” perguntou, questionando Passos durante um debate televisivo, considerando que a iniciativa abrangerá, apenas, “20 jovens”.