O Governo de António Costa vai travar o programa Valorização do Empreendedorismo Emigrante (VEM) criado pelo anterior Executivo para apoiar o regresso de emigrantes a Portugal.

O primeiro concurso foi lançado em julho do ano anterior e a última fase de seleção de candidaturas termina esta terça-feira, dia 19. Segundo o gabinete do ministro-adjunto do primeiro-ministro, Eduardo Cabrita, a divulgação dos 30 finalistas será feita no dia previsto, esta terça-feira.

“O programa finalizará de acordo com o previsto, seguindo-se uma fase de avaliação por parte do Governo”, explicou ao Observador fonte oficial, o que significa que depois desta seleção o Executivo irá ver o que tenciona fazer no futuro, podendo acabar ou reformular este programa. As críticas de António Costa ao VEM são conhecidas.

Segundo informações do anterior Governo, tinham sido apresentadas 80 candidaturas/projetos de não residentes de 15 países que poderiam gerar 347 empregos. Cada candidato pode receber até 20 mil euros por projeto.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em março do ano passado, quando Passos anunciou este programa, Costa veio criticar duramente o VEM considerando que não é um verdadeiro programa. “Nos últimos anos, o país perdeu 300 mil pessoas que partiram para o estrangeiro. Mais de 110 mil jovens. O que o Governo ontem veio apresentar, com a criação de 40 a 50 projetos, para poderem regressar [os emigrantes] é não ter mesmo consciência do que aconteceu ao longo destes três anos”, afirmou António Costa. “É algo que não dignifica aquilo que deve ser a consciência” do Governo.

Durante a campanha eleitoral, Costa voltou ao tema. “Acha que isso é governar com seriedade?” perguntou, questionando Passos durante um debate televisivo, considerando que a iniciativa abrangerá, apenas, “20 jovens”.