Os jornalistas do Financial Times voltaram a ameaçar com uma greve de 24 horas, depois de as negociações com a Nikkei – a nova dona do jornal – terem falhado, referiu o sindicato dos jornalistas britânico (National Union of Journalists) na página oficial.

As negociações entre os jornalistas e a administração falharam visto esta não querer honrar os compromissos assumidos sobre as pensões.

“Esta reunião condena os executivos do Financial Times pela sua recusa em oferecer condições equivalentes a todos os membros do regime de pensões e pela sua recente declaração de que ‘não há mais margem de manobra'”, lê-se na página oficial.

Ainda não existe uma data para a paralisação, mas a confirmar-se poderá ser a primeira nos últimos 30 anos, refere o sindicato.

O Público lembrou que esta é a segunda ameaça de greve em relação a este assunto. A primeira, que tinha sido declarada em novembro, foi cancelada perante a possibilidade de negociações com a administração.