Miguel Relvas, antigo ministro-adjunto, e Isabel Castelo Branco, ex-secretária de Estado do Tesouro, vão ser chamados à Assembleia para explicar o investimento do Estado de 90 milhões de euros no banco Efisa durante o Governo anterior. Caso esta transação não fique completamente esclarecida, o PS afirma que vai chamar Pedro Passos Coelho para falar sobre este tema.

O antigo ministro deverá ser ouvido na Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa, após o pedido de audição ser aprovado pela maioria composta pelo PS e pelos restantes partidos à esquerda. O banco Efisa terá recebido 90 milhões de capital do Estado e terá sido vendido por cerca de 30 milhões de euros à PIVOT SGPS, uma sociedade de capitais portugueses e angolanos da qual faz parte o ex-ministro do PSD, Miguel Relvas.

Os socialistas dizem que estas ligações são “estranhas” e justifica assim a chamada de Relvas e Castelo Branco ao Parlamento. A última tranche da entrega do Efisa foi feita já por este Governo, mas o PS considera que a responsabilidade é da inteira responsabilidade do anterior executivo já que foi nessa altura que os compromissos foram assumidos. O PS pondera chamar Pedro Passos Coelho caso as audições destas duas figuras não forem suficientemente esclarecedoras.