O encontro desta quarta-feira, em São Bento, entre António Costa e Rui Moreira terminou sem uma palavra. De acordo com o jornal Expresso, o primeiro-ministro e o presidente da câmara do Porto saíram da reunião sem prestar declarações, antevendo que não houve conclusões ou novidades dignas de nota, a não ser a comunicação formal ao primeiro-ministro das queixas que o autarca tem vindo a fazer nos últimos dias sobre a suspensão das rotas da TAP a partir do Porto.

Antes da reunião, que foi pedida na sexta-feira por Rui Moreira, António Costa mostrava-se confiante de que seria encontrada uma solução “para manter no Aeroporto Sá Carneiro uma base aeroportuária que ajude à internacionalização do Porto e do Norte”. “Encontraremos certamente uma boa solução para aquilo que é estratégico, não só para o Porto como para o país, para que seja mantida no Aeroporto Sá Carneiro uma base aeroportuária, que ajude a internacionalização de toda a região norte e da cidade do Porto e permita continuar a servir cada vez melhor as necessidades da economia do país”, dizia esta tarde aos jornalistas em Aveiro.

Mas, até ver, ainda não há fumo branco. Numa entrevista à revista Visão, que será divulgada amanhã e que foi gravada antes da reunião com Costa, Rui Moreira endurece a sua posição sobre a TAP, garantindo que “causará o maior dano possível para que a TAP mude de opinião”, e deixa críticas ao Governo e à capital.

Na entrevista, Rui Moreira critica a “intelligentsia lisboeta constituída por parolos da província que acampam na capital e que, para mostrarem serviço, têm de parecer mais centralistas”.