O dirigente francês, presidente da UEFA desde 2007, está suspenso por seis anos por ter recebido ilegalmente 1,8 milhões de euros de Joseph Blatter, antigo líder da FIFA, em 2011, por alegado trabalho de consultadoria realizado em 2002.

“No recurso ao TAS, Michel Platini pretende anular as decisões dos comités de Ética e Recurso da FIFA que o tornam ilegível para qualquer atividade relacionada com o futebol, no plano nacional e internacional, por seis meses”, refere o comunicado do TAS.

Depois de ter sido suspenso por oito anos pelo Comité de Ética, Platini recorreu para o Comité de Recurso da FIFA, que acabou por reduzir a pena para seis anos, Logo depois de ter sido conhecida a decisão da instância de recurso, Platini anunciou que iria recorrer para o TAS.