O roadshow para vender o Novo Banco, uma parte ou todo, arranca na próxima semana, com uma reunião com investidores em Nova Iorque, marcada por o dia 31 de março. A informação é avançada pelo Diário de Noticias que adianta que Londres e Boston serão as próximas paragens nesta apresentação que será feita por Sérgio Monteiro, o homem contratado pelo Banco de Portugal para vender a instituição, mas também por Eduardo Stock da Cunha e outros elementos da administração do Novo Banco.

O objetivo desta primeira ronda é apresentar a instituição com um novo balanço, mais limpo depois das imparidades reconhecidas nos prejuízos de 2015 e da passagem de responsabilidades com obrigações para o BES, a grupos de 30 ou 40 investidores.

A estratégia da equipa vendedora aposta em atrair investidores para viabilizar uma venda direta a institucionais de uma parte do capital da instituição, uma oferta inicial de venda de uma posição minoritária do capital, que seria transacionada em bolsa. Este é um dos cenários que vai ser testado nos contactos com os investidores, mas o modelo da segunda tentativa de venda do Novo Banco está em aberto e admite para já todas as opções. A instituição que resultou do BES tem de ser vendida até agosto de 2017, prazo fixado pela Comissão Europeia.