Mohammed Abrini, o “terrorista do chapéu”, suspeito de ter participados nos atentados do aeroporto de Bruxelas e também nos de Paris, foi detido esta sexta-feira em Anderlecht. De acordo com a televisão pública belga, o último suspeito à solta do envolvimento nos ataques que vitimaram mais de 30 pessoas no aeroporto de Zaventem e deixaram feridas 130 a 13 de novembro na capital francesa foi finalmente apanhado. Era considerado um dos homens mais procurados da Europa.

A operação das autoridades belgas, que fez vários detidos, entre os quais também o segundo suspeito dos atentados no metro de Bruxelas, decorreu durante toda a manhã. Mas não há ainda informações, ou confirmações oficiais. Ontem a polícia belga tinha divulgado novas imagens e até um vídeo do percurso do “terrorista do chapéu” desde que saiu do aeroporto — onde foi o único dos três bombistas que não se fez explodir –, pedindo ajuda para o identificar.

Terror suspect Mohamed Abrini arrested

Mohammed Abrini antes dos atentados de Paris. Créditos: BELGIAN FEDERAL POICE / HANDOUT/EPA

Dois dias antes dos atentados de Paris, este belga de origem marroquina foi visto a conduzir um Renault Clio preto com Salah Abdeslam, o bombista que escapou do local dos ataques na capital parisiense. Abdeslam foi detido pelas autoridades belgas antes dos atentados em Bruxelas e vai ser extraditado para França.

Abrini é considerado o segundo homem mais procurado da Europa. Terá ajudado Salah Abdeslam, de quem era amigo de infância, em Paris. A polícia francesa e as autoridades belgas acreditam que foi com o auxílio deste homem de 31 anos que Abdeslam conseguiu escapar à polícia em Paris e entrar na Bélgica. Esta teoria ganhou maior credibilidade quando se soube que comprou um cartão de telemóvel no 13.º bairro parisiense, tendo depois ligado para duas pessoas na Bélgica no próprio dia dos atentados.

A televisão pública belga afirma ainda que Osama Krayem, o segundo homem do ataque terrorista no metro de Bruxelas a 22 de março, também foi detido. Ele terá contactado com Khalid El Bakraoui, o terrorista que atacou o metro de Bruxelas depois de fazer detonar um engenho, pouco antes de desistir da ideia de se também se fazer explodir. Krayem também pode ter sido o responsável por comprar alguns dos materiais utilizados para preparar esses mesmos explosivos.

Outros indivíduos terão sido detidos esta sexta-feira, mas a polícia ainda não revelou a sua identidade nem qual o envolvimento com os últimos atentados na Europa. Aqui em baixo está um tweet onde é exibido o rosto de Krayem.

A polícia belga confirmou que Mohammed Abrini é mesmo o “homem do chapéu” visto nas filmagens do aeroporto de Bruxelas. E confirma também que Abrini “está sob custódia” e que mais informações serão prestadas nas próximas horas.