A maioria dos japoneses quer que o Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, visite a cidade de Hiroshima durante a sua deslocação ao Japão este mês, a propósito da cimeira de líderes do G7, revela uma sondagem.

Segundo a sondagem, realizada pela emissora pública NHK, publicada hoje, 70% dos inquiridos manifestaram o seu desejo de que Obama visite aquela cidade, no oeste do país, alvo do primeiro bombardeamento atómico da História, executado por aviões norte-americanos a 06 de agosto de 1945.

Segundo os inquéritos, realizados por telefone, apenas cerca de 2% expressou o seu desacordo relativamente a uma eventual visita do Presidente dos Estados Unidos a Hiroshima.

Em abril, o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, aproveitou a sua participação na reunião de ministros dos Negócios Estrangeiros do G7, em Hiroshima, para realizar uma visita histórica ao Parque da Paz, naquela que foi a primeira homenagem de um alto funcionário de Washington às vítimas.

A visita de Kerry alimentou as expetativas no Japão sobre a possibilidade de Obama se tornar o primeiro Presidente dos Estados Unidos a visitar Hiroshima durante a sua visita ao país, a propósito da cimeira de líderes do G7, marcada para 26 e 27 de maio, no parque natural Ise-Shima.

Apesar de a Casa Branca ter informado na segunda-feira que Obama ainda não ultimou o seu itinerário de viagem, pelo que não há confirmação oficial da visita, meios de comunicação social e analistas apontam a deslocação como provável.

A sondagem também consultou os japoneses sobre a reativação dos reatores nucleares do país, que começou em agosto do ano passado, após um ‘apagão’ nuclear de dois anos na sequência do acidente na central de Fukushima, em 2011.

Segundo a sondagem, 47% dos japoneses mantêm-se contra a reativação nuclear, enquanto 15% dizem-se a favor e 30% declararam-se indecisos.