O ministro da Cultura do Irão afirmou este domingo que os iranianos não vão em peregrinação a Meca devido aos “entraves” colocados por parte da Arábia Saudita. “Depois de duas séries de negociações sem resultados devido a entraves dos sauditas, os peregrinos iranianos, infelizmente, não poderão efetuar o hajj [nome dado à peregrinação realizada à cidade santa de Meca pelos muçulmanos] “, declarou o ministro, Ali Janati.

Uma delegação iraniana deslocou-se na semana passada à Arábia Saudita para tentar alcançar um acordo sobre a peregrinação dos fiéis iranianos a Meca, mas na sexta-feira abandonou aquele território sem um entendimento.

“O ministério saudita do Hajj e os seus responsáveis não têm autoridade necessária para tomar decisões”, declarou por seu turno o presidente da Organização Iraniana do Hajj, Saïd Ohadi, acrescentando que os sauditas não aceitaram as condições do Irão.

Estas discussões foram a segunda tentativa das duas potências rivais do Médio Oriente para fixar as condições da organização da peregrinação este ano, depois da morte de 2.300 pessoas, entre as quais 464 iranianas, na peregrinação de setembro de 2015.