O mundo das artes marciais mistas (MMA na sigla inglesa) conheceu mais uma baixa de peso. Kimbo Slice, pioneiro dos combates de luta de MMA, tinha 42 anos e morreu esta segunda-feira depois de ter sido internado num hospital em Margate, no sul de Miami, na Florida (EUA). O MMA é um desporto que reúne técnicas de várias artes marciais e que permite o contrato entre os lutadores que podem trocar socos e pontapés.

A morte do ex-lutador de rua, cujo nome de batismo era Kevin Ferguson, foi confirmada pelo seu agente Mike Imber, através de uma mensagem enviada à agência a Associated Press, conta o The Guardian.

“Perdemos o nosso irmão hoje”, escreveu o agente de Kimbo Slice. As causas da morte do lutador apontam para ataque cardíaco e a agente da polícia que tomou conta da ocorrência confirmou que a morte não é suspeita e não há investigação policial a decorrer.

https://twitter.com/MMA_Nick/status/740002976157306880

O próximo combate de Kimbo Slice ia realizar-se em Londres contra James Thompson, no mês que vem. Previa-se que fosse uma desforra do combate de 2008, que foi o mais visto na história das MMA, com 7,28 milhões de telespetadores, refere a BBC.

“Estamos chocados e tristes com a perda devastadora e prematura de Kimbo Slice, um membro muito querido da família Bellator”, disse Scott Coker, presidente da Bellator MMA, o promotor da luta, ao jornal britânico.

Antes de chegar aos ringues dos combates deste desporto de contacto, Kimbo Slice foi jogador de futebol americano e porteiro de clubes de striptease. O lutador, natural das Bahamas, começou a combater em 2003 e rapidamente se tornou um lutador muito popular, sobretudo na internet.

Os vídeos das suas inúmeras vitórias em lutas de rua, por knock-out e recorrendo a ataques violentos, tornaram-se fenómenos no YouTube. Kimbo Slice também devia muita da sua fama à sua aparência intimidatória aliada à sua eficácia a aplicar golpes.

https://www.youtube.com/watch?v=o5t8qNM-HEk

Kimbo Slice estudou artes marciais mistas (MMA) antes de se iniciar em combates organizados e nunca escondeu ser um praticante com pouca técnica. Sempre foi honesto com os fãs da modalidade sobre as suas habilidades de combate e atribuía o seu sucesso na modalidade sobretudo à sua força. A sinceridade do lutador refletia as suas qualidades humanas, que era descrito fora do ringue como uma pessoa “amigável, um gigante gentil e um homem de família dedicado”.

A morte de Kimbo Slice representa mais uma perda para a modalidade, um dos desportos de luta que mais tem crescido nos últimos anos e considerado tão perigoso quanto o boxe profissional. No passado mês de março, o lutador português “João ‘Rafeiro” morreu depois de ter ficado em estado crítico na sequência de um combate de artes marciais mistas que se realizou em Dublin na Irlanda.