Um homem belga pediu a eutanásia, porque não consegue aceitar a sua homossexualidade. “Sempre pensei na morte. Desde as minhas primeiras recordações, sempre esteve presente. Isto é um sofrimento permanente, é como estar prisioneiro no próprio corpo”, disse o homem à BBC.

A Bélgica, país onde a eutanásia é legal, tem leis específicas para o procedimento. No caso de o doente sofrer de uma enfermidade física, tem de haver acordo entre dois médicos e o paciente. Nos casos de doenças psiquiátricas, é necessário que haja três médicos de acordo. O pedido de eutanásia tem de ser feito de forma voluntária, consciente, e apenas se houver sofrimento físico ou mental incurável, constante ou insuportável, lembra a BBC.

Gilles Genicot, professor de direito médico na Universidade de Lieja e membro do comité de revisão da eutanásia, declara que “é muito provável que ele tenha problemas psicológicos relacionados com a sua sexualidade”. Ainda assim, o responsável conclui: “Não consigo encontrar um rasto de doença psíquica real aqui”.

Genicot considera, no entanto, que não se pode “descartar a opção de eutanásia para estes pacientes”. “Eles podem ser amparados pela lei, quando se tiverem tentado todos os tratamentos e nenhum tenha tido êxito, e três médicos cheguem à conclusão de que não sobra mais nenhuma opção”, explicou o membro do comité de revisão da eutanásia.

“Para mim é só uma anestesia”, disse o homem que quer morrer. Há 17 anos a fazer tratamentos terapêuticos, lembra que “toda a vida” o levou a esta realidade: “A minha mãe tinha demência, e então eu não estava bem mentalmente”.

O belga diz que se sentiu “muito sozinho” durante a infância. “Tinha medo de sair, de ser visto. Estava sempre assustado e era consideravelmente tímido”, disse.

“Eu não queria ser gay”, afirma na entrevista à BBC. O homem está decidido a recorrer à eutanásia como última arma para lutar com o que considera um “sentido constante de vergonha e sensação de cansaço, por estar atraído por gente por quem não me devia sentir atraído”.

Desde 2002 que a eutanásia é legal na Bélgica, e em 2014 a lei passou a permitir que as crianças também possam recorrer a este procedimento.