Cristina Kirchner, ex-presidente argentina, viu os seus bens serem embargados por um juiz de Buenos Aires, a capital Argentina, na sequência de uma investigação a operações do banco central do país.

Depois de ver os seus bens confiscados, Kirchener não vai poder vender nenhuma das suas propriedades, avaliadas em vários milhões de euros, informa a BBC.

A ex-presidente argentina foi acusada de ter feito transações fraudulentas em moeda estrangeira durante os últimos meses do seu governo (2007-2015).

A ex-Presidente foi indiciada por crime de “administração infiel em prejuízo da administração pública” dentro “da causa pelo dólar futuro”.

Juntamente com Kirchner, vários dos seus colaboradores estão a ser investigados por gestão indevida de fundos públicos.

O chamado caso Dólar Futuro foi um negócio multimilionário que supostamente beneficiou grandes corporações. O Banco Central argentino venderia dólares a um preço inferior ao do mercado. Esta venda terá obrigado a realizar pagamentos milionários.