O Comité Olímpico Internacional (COI) vetou esta terça-feira a presença do ministro do Desporto da Rússia, Vitali Moutko, nos Jogos Olímpicos Rio 2016, no âmbito do relatório McLaren, que confirmou um esquema de dopagem com apoio estatal.

“Não será atribuída acreditação a qualquer responsável do Ministério do Desporto russo ou a qualquer pessoa citada no relatório McLaren”, refere esta terça-feira o COI.

De acordo com o documento, da autoria do professor de direito Richard McLaren, Vitali Moutko e o seu adjunto, Iouri Nagornykh, foram os responsáveis por um esquema organizado de doping no desporto russo, desde 2011 e que abrange 30 modalidades.

O relatório, pedido pela Agência Mundial Antidopagem (AMA), diz que o Governo russo dirigiu um programa de dopagem com apoio estatal, com participação ativa do ministro do Desporto e dos serviços secretos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

McLaren refere que o programa “à prova de falhas” foi colocado em prática pelos responsáveis russos, inclusivamente durante os Jogos Olímpicos de Inverno Sochi 2014.

De acordo com o documento, o ministro do Desporto da Rússia, Vitaly Mutko, teve “participação ativa” nesse sistema, que teve a assistência dos serviços secretos nos laboratórios antidopagem de Moscovo e Sochi.