Rádio Observador

António Guterres

António Guterres vence primeira votação para secretário-geral da ONU

6.508

António Guterres venceu a primeira votação para secretário-geral da ONU. A notícia está a ser avançada pela AFP.

SALVATORE DI NOLFI/EPA

Autor
  • Margarida Peixoto

António Guterres venceu esta quinta-feira a primeira votação para secretário-geral da ONU, avança a AFP, citando fontes diplomáticas.

O voto é secreto e foi organizado esta quinta-feira, entre os 15 membros do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas. Guterres, ex-alto comissário para os refugiados da ONU, ficou à frente do esloveno Danilo Türk, que ficou em segundo lugar.

Há 12 candidatos na corrida para suceder a Ban Ki-moon, que termina o seu mandato no final de 2016, depois de ter estado cinco anos em funções.

Tradicionalmente, tem-se verificado uma rotação geográfica na atribuição do cargo de secretário-geral da ONU. Para o mandato que terá início a 1 de janeiro de 2017 seria de esperar que fosse escolhido um candidato da Europa de Leste. Por isso, têm-se destacado a búlgara Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, e o ex-presidente esloveno, Danilo Türk.

Entre outros candidatos estão ainda Helena Clark, da Nova Zelândia, e Susana Malcorra, ministra dos Negócios Estrangeiros da Argentina.

Na carta enviada a todos os representantes e observadores da ONU pelo presidente da Assembleia Geral, Mogens Lykketoft, presidente da Assembleia Geral, e Samantha Power, Presidente do Conselho de Segurança, traçaram o perfil do líder ideal:

A posição de secretário-geral é de grande importância e exige os mais altos padrões de eficiência, competência e integridade, e um compromisso firme para com os propósitos e princípios da Carta das Nações Unidas. Convidamos à apresentação de candidatos com provas dadas de liderança, capacidades de gestão, vasta experiência em relações internacionais e fortes competências diplomáticas, comunicacionais e de vários idiomas.”

António Guterres lançou a sua candidatura em junho, tendo criado para isso uma página oficial: antonioguterres.gov.pt

O que significa ganhar a primeira votação?

A escolha do secretário-geral da ONU é um processo longo e feito maioritariamente em negociações de bastidores. Mais do que consequências definitivas, as votações são sobretudo indicativas.

Oito líderes em 70 anos

A Organização das Nações Unidas tem 70 anos e teve oito secretários-gerais:

  • Ban Ki-moon cumpriu dois mandatos: entrou a 1 de janeiro de 2007;
  • Kofi A. Annan (Gana), entre janeiro de 1997 e dezembro de 2006;
  • Boutros Boutros-Ghali (Egito), entre janeiro de 1992 e dezembro de 1996;
  • Javier Pérez de Cuéllar (Perú), entre janeiro de 1982 e dezembro de 1991;
  • Kurt Waldheim (Áustria), entre janeiro de 1972 e dezembro de 1981;
  • U Thant (Burma, atual Myanmar), entre novembro de 1961, (a nomeação formal só aconteceu um ano depois) e dezembro 1971;
  • Dag Hammarskjöld (Suécia), entre abril de 1953 e setembro de 1961, quando morreu num acidente de avião;
  • Trygve Lie (Noruega), entre fevereiro de 1946 e novembro 1952.

Cada mandato dura cinco anos e não há um limite para o número de mandatos que cada secretário-geral pode cumprir. Contudo, ainda ninguém esteve na liderança por mais do que dois mandatos.

Conforme explica a ONU, “o secretário-geral é nomeado pela Assembleia Geral, sob recomendação do Conselho de Segurança. Por isso, a escolha do secretário-geral é suscetível de ser vetada por qualquer um dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança“.

Quer isto dizer que a votação desta quinta-feira não serviu de nada? Não. Esta primeira votação serviu para os 15 membros do Conselho de Segurança — os cinco permanentes que são a China, os Estados Unidos, a Rússia, a França e o Reino Unido, mais os 10 membros rotativos — expressarem o seu encorajamento, ou desencorajamento, a cada um dos 12 candidatos. Na sequência destes votos, os candidatos são informados dos resultados e é esperado que os menos encorajados acabem por desistir da corrida.

Ou seja, o facto de António Guterres ter sido o mais encorajado é um bom indicador de que poderá receber o apoio suficiente para vir a ser apresentado à Assembleia Geral da ONU.

A escolha vai assim sendo feita por rondas de votações — e sucessivamente influenciada pelas negociações de bastidores entre os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança. A expectativa é chegar a outubro com um único nome para apresentar à Assembleia Geral.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
PSD/CDS

A beira do precipício

José Ribeiro e Castro

A visão da beira do precipício serve para despertar. Se não querem deixar Portugal totalmente submetido à esquerda, PSD e CDS têm de fazer mais no tempo que falta. Sobretudo fazer melhor. E desde já.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)