O Conselho Superior da Magistratura anunciou esta quinta-feira que já não vai analisar a entrevista dada pelo juiz Carlos Alexandre à SIC. Em causa está o pedido de recusa interposto pelo ex-primeiro-ministro José Sócrates, que deu entrada esta quarta-feira no Tribunal da Relação de Lisboa.

Num comunicado, o Conselho Superior da Magistratura explica que, apesar de a apreciação relativa à entrevista não se confundir “com aquela que é pedida ao Tribunal da Relação, a coincidência temporal de uma e de outra é suscetível de prejudicar a perceção pública da cabal distinção destes planos.”

Por esse motivo, o Conselho da Magistratura decidiu adiar a “análise da entrevista” para “um momento posterior à decisão pelo Tribunal da Relação, retirando tal ponto da tabela da sessão plenária de 27 de setembro.”

A entrevista ao “super-juiz”, responsável pela “Operação Marquês”, foi transmitida na SIC no passado dia 9 de setembro. Um dia depois, num artigo de opinião publicado no Diário de Notícias, José Sócrates anunciou que tinha dado instruções aos seus advogados “para apresentarem as respetivas queixas aos órgãos judiciais competentes”. No início desta semana, vários órgãos de comunicação noticiaram que o Conselho Superior da Magistratura estava a preparar-se para apreciar as declarações prestadas pelo juiz ao canal de televisão.

O pedido de recusa de Carlos Alexandre, interposto por Sócrates, deu entrada esta quarta-feira no Tribunal da Relação de Lisboa. Enquanto este estiver a ser analisado pela Relação, o juiz fica impedido de tomar qualquer decisão relativa à “Operação Marquês”.