Chamam-lhe “frase-vergonha”. É assim que a Federação Portuguesa do Táxi (FPT) se refere às palavras proferidas por um taxista que se encontrava no protesto desta segunda-feira, na Rotunda do Relógio, em Lisboa. O comunicado da FPT chegou esta terça-feira à tarde, depois de o vídeo com as declarações polémicas ter sido partilhado incessantemente no dia de ontem.

Em causa está uma comparação feita pelo taxista entre as leis e as “meninas virgens”, em entrevista à CMTV:

“As leis, dizem eles, são para se cumprir. Mas é mentira. As leis, sabe como é que são? São como as meninas virgens. São para serem violadas”.

Carlos Ramos, presidente da Federação Portuguesa do Táxi, manifestou-se esta terça-feira em nome da associação. O curto comunicado diz o seguinte:

A FPT faz saber que condena todo e qualquer gesto ou afirmação que atende à dignidade humana, no caso à dignidade das mulheres. A frase-vergonha ontem proferida, durante a manifestação dos táxis, e hoje repetida na comunicação social, merece a profunda condenação da FPT.

A FPT e a ANTRAL organizaram em conjunto uma manifestação contra a legalização e regulamentação de plataformas tecnológicas de transporte de passageiros, como a Uber e a Cabify. O protesto terminou já pelas 3h e ficou agendada nova manifestação para a próxima segunda-feira, dia 17 de outubro.

Veja em baixo o vídeo: