Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A GNR garantiu esta quinta-feira em comunicado que não deu qualquer ordem para matar o suspeito do homicídio a tiro de um militar da GNR e de um civil em Aguiar da Beira. A informação foi avançada esta quinta-feira por um jornal diário.

Em comunicado, a GNR “vem publicamente desmentir a notícia” de que a GNR teria dado uma ordem para matar o suspeito, caso o localizasse. O suspeito, Pedro João Dias, é neste momento procurado pelas autoridades.

“Apesar da gravidade dos factos ocorridos, tendo a instituição perdido um dos seus militares, em momento algum foi dada a ordem mencionada, uma vez que a utilização da força está devidamente definida na lei e nos regulamentos e normas internas da própria instituição”, refere a GNR. “A GNR é uma instituição que defende acima de tudo o estado de direito democrático do nosso país, pelo que toda a atividade da instituição e dos seus militares é regida pelo estrito cumprimento das leis da República Portuguesa”, acrescenta.

Pedro João Dias terá atirado a matar contra dois militares, um deles morreu de imediato. Depois terá atirado sobre um casal para lhes roubar a viatura, ele morreu e ela encontra-se internada. O caso foi entregue à PJ.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR