Deficiência

Governo compromete-se a “fazer tudo” para que língua gestual seja acessível a todos

515

A secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência reforçou o compromisso do Governo de "continuar a fazer tudo" para que a Língua Gestual Portuguesa seja "efetivamente promovida"

Ana Sofia Antunes faz referência aos "passos seguros" que já foram dados nesse sentido, como a criação dos Balcões da Inclusão e o atendimento de emergência para pessoas surdas

MÁRIO CRUZ/LUSA

A secretária de Estado da Inclusão das Pessoas com Deficiência reforçou esta terça-feira, numa mensagem, o compromisso do Governo de “continuar a fazer tudo” para que a Língua Gestual Portuguesa seja “efetivamente promovida” e acessível a todas as pessoas surdas.

Na mensagem de vídeo divulgada e alusiva ao Dia Nacional da Língua Gestual Portuguesa, Ana Sofia Antunes lembra que faz hoje 19 anos que a LGP foi reconhecida como língua oficial de Portugal, sendo a terceira língua a obter este estatuto no país, depois do português e do mirandês.

Para Ana Sofia Antunes, foi “um passo fundamental” porque veio reconhecer de certa forma “o legítimo direito, a legítima expectativa das pessoas surdas em Portugal, ao ver a sua língua representada nos mais diversos aspetos da sua vida no dia-a-dia”.

“Hoje queria apenas reforçar o nosso compromisso enquanto XXI Governo Constitucional para com a comunidade surda de continuarmos a fazer tudo para que a língua gestual portuguesa seja efetivamente promovida e que todas as pessoas possam ter acesso a ela”, afirma a governante na mensagem divulgada no ‘twitter’ do ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social e no ‘youtube’ da República Portuguesa.

Na mensagem, Ana Sofia Antunes faz referência aos “passos seguros” que já foram dados nesse sentido, como a criação dos Balcões da Inclusão e o atendimento de emergência para pessoas surdas. Nos Balcões de Inclusão, criados ao longo deste ano, “todas as pessoas surdas podem ser atendidas com direito a intérprete de língua gestual portuguesa, por enquanto ainda com marcação, mas em breve sem marcação”, salientou.

Por outro lado, adianta Ana Sofia Antunes, estão a ser finalizados os trabalhos relativos à aplicação 112 Atendimento de Emergência para pessoas surda, “um direito fundamental de qualquer ser humano, de qualquer cidadão, e com a qual a comunidade surda poderá contar muito em breve”.

A finalizar a mensagem, a secretária de Estado deixa “uma palavra de estímulo e um agradecimento” à comunidade surda por tudo o que tem feito em nome da promoção da língua gestual.

“Deixo-vos o nosso compromisso de estarmos convosco e estarmos a fazer tudo para que a língua gestual portuguesa seja cada vez mais uma das nossas línguas oficiais em Portugal”, diz, rematando: “Feliz Dia da Língua Gestual Portuguesa”.

A Presidência da República também assinala a data, lançando uma nova funcionalidade no seu ‘site’, que passará a apresentar em língua gestual “alguns dos mais importantes discursos presidenciais”.

Na cerimónia de apresentação da nova funcionalidade estará presente o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, e a Associação Portuguesa de Surdos.

Durante a cerimónia, terá lugar um espetáculo, em que o fado de Amália “Com que voz” será traduzido para língua gestual.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Deficientes

Adorável compromisso de lideranças /premium

Laurinda Alves
355

24 homens e mulheres que gerem 24 das maiores empresas que operam em Portugal assinaram um documento em que se comprometem a reforçar nas suas organizações a empregabilidade de pessoas com deficiência

Deficientes

O Sol, quando nasce, é para todos! /premium

Laurinda Alves
526

Ir à praia e apanhar sol é, para pessoas portadoras de deficiência e/ou com mobilidade reduzida, fonte de bem-estar e saúde. É mesmo uma necessidade básica de saúde dos cidadãos, mediterrânicos ou não

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)